Pular para o conteúdo principal

Amor durável

Leitura Bíblica: 1 João 4.7-8

Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor (1Jo 4.8).

Uma mãe e sua filha estavam caminhando pela praia. Num certo ponto, a menina disse: Como se faz para manter um amor? A mãe olhou para a filha e respondeu: Pegue um pouco de areia e feche a mão com força. A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão, com mais velocidade a areia escapava. “Mamãe, mas assim a areia cai!” Então ela disse para a filha abrir completamente a mão. A menina assim fez, mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava na sua mão. “Assim também não consigo mantê-la na minha mão!” A mãe, sempre a sorrir, disse-lhe: Agora pega outra vez um pouco de areia e mantenha a mão semiaberta como se fosse uma colher, fechada o suficiente para protegê-la e aberta o suficiente para lhe dar liberdade. A menina experimentou e viu que a areia não escapava da mão e estava protegida do vento. “É assim que se faz durar um amor…” 
Uma bela ilustração. O amor não é algo que se sustenta na força. Se alguém tenta amar ou ser amado pela força, só irá conseguir sufocar o amor. Não podemos obrigar e nem ser obrigados a amar. O amor também não se faz com a mão aberta da indiferença e da falta de cuidado. Aquele que não cuida de quem diz que ama está rapidamente perdendo seu amor. 
O amor é o cuidado diário como o exemplo da mão semiaberta, fechada o suficiente para protegê-la e aberta o suficiente para lhe dar liberdade. Um cuidado que dá prazer, que proteje sem sufocar e sem machucar. Aprendemos a amar à medida que nos aproximamos de Deus. Quanto mais próximos de Deus, mais sentiremos o seu amor e cuidado por nós e assim estaremos aptos para refletir este amor ao nosso próximo. João disse que quem não ama não conhece a Deus. Quem conhece a Deus, conhece também o amor e aprende a amar. Amemos uns aos outros com o amor que procede de Deus. Deus não desiste de amar, nosso amor também deve ser durável. 

Ame ao próximo como a si mesmo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E-books dos livros

Livro mensagens diárias E-books na Amazon Mensagens Diárias 9 - https://a.co/d/h4iP1oj Mensagens Diárias 7 - https://a.co/d/2wDSJiz PDF na hotmart Mensagens Diárias 1 -   https://pay.hotmart.com/I87675127Q Mensagens Diárias 2 -   https://pay.hotmart.com/K87815875W Mensagens Diárias 3 - https://pay.hotmart.com/E87815918X Mensagens Diárias 4   - https://pay.hotmart.com/X87815923P Mensagens Diárias 5 - https://pay.hotmart.com/D87815934P Mensagens Diárias 6   - https://pay.hotmart.com/O87815953W Mensagens Diárias 7 - https://pay.hotmart.com/H87815973Q Mensagens Diárias 9 - https://pay.hotmart.com/H87816003U O livro mensagens diárias traz uma meditação para cada dia do ano.  Passagens bíblicas, ilustrações, histórias interessantes.  O autor também escreve para o Presente Diário da Rádio Trans mundial a mais de 15 anos. Escreveu o livro mensagens diárias (8) da Editora Cultura Cristã em 2022.

Estou aqui

Leitura bíblica: João 1.10-14 Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo (Ap 3.20). Ano novo! O que nos espera? O que iremos conquistar? Isso depende dos caminhos nos quais iremos andar e na companhia de quem iremos seguir.   Existem dois caminhos: O caminho que leva para perto de Deus, que é um caminho que diz sim para o sim de Deus e não para o não de Deus. E existe o caminho que leva para longe de Deus, que é um caminho que diz sim para o não de Deus e diz não para o sim de Deus. A boa notícia para o ano novo é que podemos andar no bom caminho. Podemos seguir nossa vida ao lado de Jesus. Edward Welch disse: “A melhor notícia que ouviremos é que pela fé, todo crente tem pleno acesso, como sacerdote, para aproximar-se corajosamente do trono da graça”. Jesus disse: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo” (Ap 3.20)

Queimem os navios

Leitura bíblica: Lucas 9.61-62 E a mulher de Ló olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal (Gn 19.26). Como nos comportamos diante das adversidades? “Os grandes navegadores devem sua reputação aos temporais e tempestades” (Epicuro).   A vitória é fruto da persistência e da resistência. Quem desiste antes do tempo está desperdiçando tudo que já conquistou. Conta-se que quando Fernando Cortez, vindo da Espanha no ano de 1519, aportou às praias mexicanas, com algumas centenas de soldados, para conquistar o território, perguntou-lhes quais os que desejavam regressar à pátria, receosos das lutas que os esperavam contra os indígenas do México. Ninguém se apresentou. Então mandou o arrojado aventureiro lançar fogo em todos os navios em que tinham vindo para América, reduzindo-os a cinzas, a fim de cortar de vez toda e qualquer esperança de regresso ou fuga. Agora era vencer ou morrer.   Em nossa vida enfrentamos batalhas diariamente. Por mais que estejamos com medo, ou nos sentindo fr